top of page

Água contaminada em escolas: quais os riscos?

A água contaminada em escolas pode ser um dos maiores perigos para instituições de ensino, pois uma situação como essa afeta todo o ambiente escolar, desde os professores até alunos e demais colaboradores de outros setores.


Essa situação é capaz de trazer sérias consequências para as escolas, seja em seu trabalho, no dia a dia ou no âmbito legal que, de certa forma, pode ser o ponto que mais irá pesar sobre as mesmas.


Para conhecer um pouco mais sobre o que estamos falando, continue a leitura do artigo e, ao final, descubra uma super dica Clorin que promete ajudar todas as escolas do Brasil com suas questões de contaminação de água.


Problemas de aprendizado

É senso comum que prender a atenção de crianças e adolescentes não é uma tarefa fácil, ainda mais quando estamos falando de fazer isso pensando nos estudos.


Agora, imagine se essas mesmas crianças e adolescentes estiverem com sintomas de contaminação enquanto tentam estudar, ou pior, se por causa disso elas tiverem que pausar os estudos até se sentirem melhor, o que pode acabar por comprometer seu aprendizado.


Essa pode até parecer uma situação difícil de acontecer, mas o site METRÓPOLES desenvolveu uma matéria que nos alerta para essa possibilidade, confira a seguir um trecho:


“Alunos e servidores de duas escolas públicas rurais de Ceilândia (DF) sofreram com vômitos, diarreia e mal-estar. Os episódios de desconforto foram vividos na Escola Boa Esperança e a Escola Classe Lajes da Jiboia.”


Longas faltas

Como já mencionamos no item anterior, um dos riscos que a água contaminada em escolas pode causar é a ausência de funcionários e alunos, por meio das faltas justificadas através de atestados médicos.


Uma situação como essa pode afetar todo o ambiente escolar e o próprio ensino, afinal, com desfalque de professores as turmas são afetadas, bem como o andamento da matéria dos próprios alunos.


Além disso, os professores restantes precisam redobrar seus esforços para dar conta do serviço extra, a manutenção escolar pode ser comprometida e - no meio de tudo isso - a coordenação precisa dar o seu melhor para controlar a situação desgastante diante dela.


A matéria publicada pela METRÓPOLES comentada anteriormente ainda discorre sobre a questão de ausência de alunos e professores, como você pode ver abaixo:


“A Escola Bem Estar tem aproximadamente 320 alunos, de 6 e 14 anos e 50 funcionários. De acordo com o diretor Jordânio Lúcio, alunos e professores também começaram a relatar sintomas de gastroenterite e apresentar atestados médicos.”


Danos à imagem e reputação da escola

Uma das principais questões ligadas à imagem e reputação de uma escola é a confiança, afinal, os pais - e toda a comunidade - confiam a saúde e segurança de seus filhos a essa instituição.


Imagine que algo como o que ocorreu em Ceilândia (DF) aconteça em sua escola, com alunos e funcionários adoecendo. Logo a mídia irá expor os problemas da escola, como a falta de um tratamento de água adequado, bem como irá questionar - assim como todas as outras pessoas - a capacidade da instituição como rede de ensino.


Fora isso, também não podemos esquecer das consequências imediatas que podem ocorrer, já que pela falta de confiança, os pais podem escolher transferir seus filhos para outra escola e, com isso, a instituição pode encontrar dificuldades em conseguir matrículas futuras de novos alunos.


Consequências legais

Outro risco do qual não podemos esquecer são as complicações legais que uma situação como essa pode trazer.


E o que isso significa? Que os pais das crianças afetadas, bem como os professores e demais funcionários, podem escolher processar a escola pelo que aconteceu. Desses dois últimos, é importante ressaltar que questões trabalhistas podem vir a se tornar um agravante, afinal, várias questões em contrato e da lei CLT garantem boas condições de trabalho para os trabalhadores.


Além de tudo isso, outra coisa que pode acontecer são as multas - muitas vezes altíssimas - provenientes dos órgãos fiscalizadores. Toda instituição de ensino precisa seguir as normas sanitárias vigentes e, caso uma contaminação generalizada ocorra por causa da água utilizada, isso significa que pelo menos alguma dessas normas não está sendo cumprida, acarretando assim em sanções monetárias para a escola.


Em casos extremos, pode ocorrer o fechamento forçado da instituição até que a mesma se regularize. Entretanto, para se prevenir e lidar com a questão sem que ninguém mais seja afetado, geralmente as escolas param por livre e espontânea vontade suas atividades, como foi o caso da escola em Ceilândia (DF).


Como evitar a água contaminada em escolas?

Provavelmente, a principal forma de se evitar a água contaminada em escolas é realizando a limpeza adequada do reservatório, além do tratamento da água que por ali passa.


Caso você queira realizar a limpeza do reservatório de sua escola, saiba que temos UM ARTIGO completo te ensinando o passo a passo dessa missão. Mas caso seu intuito seja focar no tratamento de água, então nós temos uma dica infalível para você.


O CLORIN LINHA DE TRATAMENTO para uso profissional é um de nossos produtos mais adquiridos, sendo pastilhas que tratam volumes específicos de água para fornecimento e utilização no consumo humano e animal.


As pastilhas pré-dosadas CLORIN possuem eficiência comprovada e são indicadas para a correta desinfecção de caixas d’água e cisternas, buscando o controle de pragas, qualidade da água e eliminação de microrganismos.


Conclusão

Está buscando por soluções de tratamento para evitar água contaminada em escolas? Então, saiba que a CLORIN pode te ajudar!


Além do CLORIN LINHA DE TRATAMENTO, temos diversas outras opções de produtos que podem te ajudar não apenas a tratar sua água, mas também realizar a desinfecção de alimentos, utensílios e superfícies.


ACESSE NOSSA LOJA ONLINE hoje mesmo e confira de uma vez por todas nossas soluções!


2 visualizações0 comentário
bottom of page